Coisa de Deus, diz autônoma que usou o auxílio emergencial para realizar o sonho de abrir uma empresa

1 mês ago
cidagyn
178

A família de Maria Célia Sousa, trabalhadora por conta própria, vê oportunidade para uma pandemia. Como a mãe e as três filhas estavam desempregadas, a situação financeira tornou-se cada vez mais difícil. Naquela época, as quatro pessoas decidiram usar 600 reais de fundos de ajuda emergencial para realizar um sonho antigo e abrir um negócio. A família está vendendo marmitas.

Maria Célia agora é empresária, disse que é cozinheira há cinco anos, mas nunca conseguiu ganhar dinheiro para abrir o próprio restaurante. Ela ficou desempregada por três anos e foi ajudada por sua família. Quando as filhas também perderam o emprego, elas decidiram se reunir para começar um novo negócio.

Maria Célia conta que foi uma luz. Uma coisa de Deus. Porque ela não tinha de onde tirar. Era um sonho que ela tinha. E aí quando saiu esse auxílio o que veio no seu coração, o que Deus colocou no seu coração é que era pra ela multiplicar.

O sucesso é tão grande que já tem planos de investir. Atualmente, a venda de marmitas tem gerado receita de 6 mil reais por mês. A entrega é feita de bicicleta e só tem início até a comunidade mais próxima. Devido aos retornos maiores do que o esperado, os cachorros-quentes chegaram a todas as áreas de Araguaína onde as famílias vivem. Para o futuro, o plano é abrir um restaurante na sede. “Simplesmente não posso fazer nada. Mas quero ir primeiro em nome de Jesus.” Afirmou a empresária.

https://g1.globo.com/to/tocantins/noticia/2020/08/18/familia-usa-auxilio-emergencial-para-abrir-empresa-de-entrega-de-marmitas-e-consegue-faturar-ate-r-6-mil-por-mes.ghtml

Publicidade


Author: cidagyn